domingo

sábado

fa-la-la-la-la-la

eu não sei dizer
nada por dizer
então eu escuto

sexta-feira


ir tomar um duche e deixar a Joni a cantar na varanda. cheira a refogado e o astro está rosado.

terça-feira

sabes porque estou aqui? porque não sei estar em mais sítio nenhum.

sexta-feira

sextou

então, há 6 meses atrás arranjei um trabalho para poupar dinheiro e ir viajar. e para lowkey me livrar da ansiedade que aparece quando estás desocupada e não tens nada para fazer além de dormir e fazer o que te der na real gana (juro que não é um modo de levar a vida tão bom quanto soa).

agora, os 6 meses estão quase a acabar. as minhas skills de poupança não são as melhores do mundo - depois de infinitas idas tardias ao chinês ilegal, o primeiro casamento no nosso grupo, tattoos, ténis, dois passes para festivais e um bilhete para ir ver a Florence a Atenas (!!!), diria que o meu frasco da poupança está bastante ressequido. mas ainda tenhos dois salários e meio para compensar, por isso não faz muito mal.

anyways. o problema é que aquele medo mansinho está a voltar, pé ante pé. já não viajo sozinha há uns dois anos, o ano passado foi provavelmente o mais pesado a nível psicológico que já vivi - ainda estou a lidar com isso - e, bem, não sei bem o que fazer. quero muito ir perguntar a velhinhas onde posso comer a melhor pizza de Nápoles, viver a Roma de Pasolini, tal como quero andar ao lado do rio Sena a cantar aquela música dos ABBA, e talvez até queira ir a Londres ter contigo. mas também queria muito fazer isso sem sair de casa, sem ter de me stressar e pôr os pés num avião. não sei. logo se vê.

domingo


sinto tanta falta do que já foi, do que já fui.