segunda-feira, 15 de outubro de 2018

parte 4 de 3


austus

and your words come at me like knives on fire
i see the rage i feel it pulsating in the air
they hurt in spots still left sore
from others who spit fire before you
you call me weak
and he doesn't understand
you both hate me pity me
for feeling so much
too much
you say.
but darling, you see
to feel
it's never too much

but you are right
I will love myself better from now on.
from now on, I will.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

09 10 Oct,


hoje encontrei dois livros e mais um outro, um anel e um jogo para a PS2. hoje encontrei talvez, também, um bocado de direção.

tenho medo, não sei onde a decisão x ou y me irá levar, se a melhor ou pior porto. mas sei que terei de a tomar, mais cedo ou mais tarde.

ufa.



segunda-feira, 8 de outubro de 2018

oito nove oct.

daqui a um mês tenho vinte e seis e duas horas (e quatro minutos). não sei se isso significa algo ou se não significa nada. ou se significa apenas que dei mais uma volta ao Sol. hoje cortei o cabelo pelos ombros outra vez e as cadeiras do cabeleireiro faziam massagens. gosto. sinto-me bonita. sinto-me mais eu.
passo a passo.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018



i'm a brooklyn baby

domingo, 2 de setembro de 2018

sábado, 1 de setembro de 2018

1 de Setembro

gosto deste mês, gosto de recomeços, de rotina. há 20 anos, este mês foi (já não me lembro mas aposto) muito muito feliz; trouxe-me a maninha que eu tanto queria e que me fez fazer desenho após desenho na creche, de carrinhos de bebé. gosto de Setembros. este não sabe a recomeços porém, é o primeiro que vem e não traz a azáfama da escola com ele. ando a tentar perceber o que fazer no meio desta incógnita toda. à noite, quando fecho os olhos, vejo sempre coisas muito feias. sempre tentei distrair-me delas, fugir para o telemóvel ou algo que as fizesse esconder de novo. mas comecei a ver que encará-las é melhor, que lhes tira o poder e as revela como monstros, sim, mas monstros que estão apenas lá, inofensivos. e isso é uma lição importante para mim, desconstruir. tornar as coisas mais conhecidas, mais simples de perceber. e quando se percebe, se sabe, o medo deixa de ser tanto.

I myself have always found that if I examine something, it's less scary. I grew up in the West, and we always had this theory that if you saw - if you kept the snake in your eye line, the snake wasn't going to bite you. And that's kind of the way I feel about confronting pain. I want to know where it is. 
— Joan Didion

continuo a sentir muito a falta da Estónia. não sei se estou assim tão melhor aqui como pensava. tenho saudades de escrever e vi que só o posso fazer se, bem, se o fizer. se me forçar a fazê-lo durante uns tempos pode ser que comece a ganhar-lhe o gosto. sei bem que o Bukowski diz que se for forçado não vale a pena, que se for forçado é merda. mas vou deixar de ligar tanto ao que os outros dizem.