sábado, 2 de setembro de 2017

keep walking





(Marvão, Alentejo)


Tanta coisa aconteceu em apenas dois meses. Estou perdida neste momento. Não em pessoas, como de costume. Não em sítios ou situações. Estou só perdida. Ou talvez perdida não seja o melhor termo. Parada, presa. Sim. Não sei muita coisa.

Sei algumas. Sei que quero ficar. Sei que quero fazer. Sei que quero correr. Também quero ir, para fazer mais. Quero criar, com as minhas próprias mãos. Quero pisar, ter os pés no chão, na terra, na lama, o que for. Continuar a andar, talvez cá dentro. Rir mais, sorrir. Preocupar-me menos. Ser.

Mais "estou farta de estar em casa, bora a qualquer lado", mais acabar a ver o Sol descer numa calmaria que me faz desejar viver no topo de uma serra qualquer para sempre. 



4 comentários:

  1. Sendo que a vantagem do topo de uma serra é avistar tanto o pôr-do-sol, como o nascer do mesmo. Que ele te ilumine, sempre.

    ResponderEliminar
  2. Que imagens tão bonitas e que tão bem ilustram as tuas palavras! Cada vez sinto mais isso também, sabes... O querer correr todos os dias atrás de um pôr do sol, atrás de qualquer coisa que me faça sentir viva... Um beijinho *

    ResponderEliminar